domingo, 21 de abril de 2013

Prova


Prova Bimestral de Recuperação de Literatura Brasileira
Serie: 2º ano
Professor: Marconildo Viegas
Obs. As questões objetivas não podem ser rasuradas. A rasura ANULA a questão. Pense antes de marcar.
Para responder às questões de 1 a 3, leia o TEXTO.
 
O LAÇO DE FITA
 
Não sabes, criança? ’Stou louco de amores...
Prendi meus afetos, formosa Pepita.
Mas onde? No templo, no espaço, nas névoas?!
Não rias, prendi-me
Num laço de fita.
Na selva sombria de tuas madeixas,
Nos negros cabelos da moça bonita,
Fingindo a serpente qu’enlaça a folhagem,
Formoso enroscava-se
O laço de fita.
Meu ser, que voava nas luzes da festa,
Qual pássaro bravo, que os ares agita,
Eu vi de repente cativo, submisso
Rolar prisioneiro
Num laço de fita.
E agora enleada na tênue cadeia
Debalde minh’alma se embate, se irrita...
O braço, que rompe cadeias de ferro,
Não quebra teus elos,
Ó laço de fita!
Meu Deus! As falenas têm asas de opala,
Os astros se libram na plaga infinita.
Os anjos repousam nas penas brilhantes...
Mas tu... tens por asas
Um laço de fita.
Há pouco voavas na célere valsa,
Na valsa que anseia, que estua e palpita.
Por que é que tremeste? Não eram meus lábios...
Beijava-te apenas...
Teu laço de fita.
[...]
(ALVES, Castro. Espumas Flutuantes. São Paulo: FTD, 1997, p. 29-30).
1. A expressão laço de fita, além de constituir o título do poema, aparece repetida em todas as estrofes.
A respeito dessa expressão, pode-se afirmar:
 
I. Refere-se a um adereço usado pela figura feminina.
II. Funciona apenas como termo vocativo a quem o eu-lírico se dirige.
III. Exprime, em alguns versos, o poder de sedução da formosa Pepita.
 
Está(ão) correta(s) apenas:
a) I                  b) II                  c) III                 d) I e II                 e) I e III
 
2. Na primeira estrofe do poema, o eu-lírico, ao dirigir-se à amada, recorre à linguagem figurada.  A respeito dessa linguagem, é correto afirmar:
 
a) O eu-lírico utiliza-se da hipérbole (exagero) em “ ’Stou louco de amores...” (verso 1 da 1ª estrofe), para expressar a imensidão de seu amor.
b) A palavra criança refere-se, apenas e necessariamente, à condição infantil da amada.
c) A palavra Pepita define, metonimicamente (emprego de um termo por outro, dada a relação de semelhança ou a possibilidade de associação entre ele), a mulher amada, comparando-a a um metal precioso.
d) As palavras criança e Pepita, denotativamente (sentido real), expressam a idealização feminina.
e) O recurso da gradação (ideia crescente ou decrescente), em “No templo, no espaço, nas névoas?!” (verso 3 da 1ª estrofe), sugere um movimento descendente.
 
3. Na terceira estrofe do poema, o eu-lírico:
 
a) ressente-se de ser um prisioneiro do amor daquela mulher.
b) apresenta o amor como um sentimento que estabelece relação de dependência de um ser a outro.
c) confessa o sentimento de dor ao deixar-se envolver pela mulher amada.
d) revolta-se por ter perdido o poder de voar, sentindo-se prisioneiro daquele laço de fita.
e) revela o desejo de continuar livre como um pássaro bravo.
Amor: entre o sonho e a realidade
 
Para responder às questões de 4 a 5, leia o texto a seguir.
                         


              Se te amo, não sei!
Amar! se te amo, não sei.
Oiço aí pronunciar
Essa palavra de modo
Que não sei o que é amar.
 
Se amar, é sonhar contigo,
Se é pensar, velando, em ti,
Se é ter-te n’alma presente
Todo esquecido de mi!
 
Se é cobiçar-te, querer-te
Como uma benção dos céus
A ti somente na terra
Como lá em cima a Deus;
 
Se é dar a vida, o futuro,
Para dizer que te amei:
Amo; porém se te amo
Como oiço dizer, – não sei.


DIAS, Gonçalves. Poesia lírica e indianista. 1 ed. São Paulo: Ática, 2003, p. 199.

 

4.    Com base na 1ª estrofe do poema, é correto afirmar que o eu lírico

 

a)  tem convicção de que ama, mesmo não se sentindo amado.

b)  mostra-se inconstante em relação a seus sentimentos.

c)  considera o amor um sentimento indefinível.

d)  tem dúvidas acerca do que significa amar.

e)  nega a existência do amor.

 

5.    Considerando os traços estilísticos desse poema, identifique com V a(s) afirmativa(s) verdadeira(s) e com F, a(s) falsa(s):

 

(      ) O poema é lírico, enfocando o amor a partir de uma visão romântica, comparando o ser amado a uma dádiva dos céus.

(      ) O poema apresenta versos de métrica regular (7 sílabas), estruturado em forma de soneto.

(      ) O poema caracteriza-se pelo tom subjetivista e sentimentalista, revelando a preocupação do eu lírico com os seus sentimentos.

(      ) O poema foge à estética romântica, fazendo referência de forma explícita ao amor físico.

A seqüência correta é:

 

a)  VFVF          b) VFFV              c)         FVVF           d)           VVFV          e)            FFVF

    

6. Leia o texto abaixo e assinale a única opção correta

 

Gerente – Boa tarde. Em que eu posso ajudá-lo?

Cliente – Estou interessado em financiamento para compra de veículo.

Gerente – Nós dispomos de várias modalidades de crédito.

O senhor é nosso cliente?

Cliente – Sou Júlio César Fontoura, também sou funcionário do banco.

Gerente – Julinho, é você, cara? Aqui é a Helena! Cê tá em Brasília? Pensei que você inda tivesse na agência de

Uberlândia! Passa aqui pra gente conversar com calma.

                                      BORTONI-RICARDO, S. M. Educação em língua materna. São Paulo: Parábola, 2004 (adaptado).

Na representação escrita da conversa telefônica entre a gerente do banco e o cliente, observa-se que a maneira de falar da gerente foi alterada de repente devido:

 

a) à adequação de sua fala à conversa com um amigo, caracterizada pela informalidade.

b) à iniciativa do cliente em se apresentar como funcionário do banco.

c) ao fato de ambos terem nascido em Uberlândia (Minas Gerais).

d) à intimidade forçada pelo cliente ao fornecer seu nome completo.

e) ao seu interesse profissional em financiar o veículo de Júlio.

Textos para as questões 7 e 8

 

Texto I                   

 

É praticamente impossível imaginarmos nossas vidas sem o plástico. Ele está presente em embalagens de alimentos, bebidas e remédios, além de eletrodomésticos, automóveis etc. Esse uso ocorre devido à sua atoxicidade e à inércia, isto é: quando em contato com outras substâncias, o plástico não as contamina; ao contrário, protege o produto embalado. Outras duas grandes vantagens garantem o uso dos plásticos em larga escala: são leves, quase não alteram o peso do material embalado, e são 100% recicláveis, fato que, infelizmente, não é aproveitado, visto que, em todo o mundo, a percentagem de plástico reciclado, quando comparado ao total produzido, ainda é irrelevante.

Revista Mãe Terra. Minuano, ano I, n. 6 (adaptado).

Texto II

 

Sacolas plásticas são leves e voam ao vento. Por isso, elas entopem esgotos e bueiros, causando enchentes. São encontradas até no estômago de tartarugas marinhas, baleias, focas e golfinhos, mortos por sufocamento.

Sacolas plásticas descartáveis são gratuitas para os consumidores, mas têm um custo incalculável para o meio ambiente.

Veja, 8 jul. 2009. Fragmentos de texto publicitário do Instituto Akatu pelo Consumo Consciente.

 

7. Em contraste com o texto I, no texto II são empregadas, predominantemente, estratégias argumentativas que

a) atraem o leitor por meio de previsões para o futuro.

b) apelam à emoção do leitor, mencionando a morte de animais.

c) orientam o leitor a respeito dos modos de usar conscientemente as sacolas plásticas.

d) intimidam o leitor com as nocivas consequências do uso indiscriminado de sacolas plásticas.

e) recorrem à informação, por meio de constatações, para convencer o leitor a evitar o uso de sacolas plásticas.

 

 

 

8. Na comparação dos textos, observa-se que

 

a) o texto I apresenta um alerta a respeito do efeito da reciclagem de materiais plásticos; o texto II justifica o uso desse material reciclado.

b) o texto I tem como objetivo precípuo apresentar a versatilidade e as vantagens do uso do plástico na contemporaneidade; o texto II objetiva alertar os consumidores sobre os problemas ambientais decorrentes de embalagens plásticas não recicladas.

c) o texto I expõe vantagens, sem qualquer ressalva, do uso do plástico; o texto II busca convencer o leitor a evitar o uso de embalagens plásticas.

d) o texto I ilustra o posicionamento de fabricantes de embalagens plásticas, mostrando por que elas devem ser usadas; o texto II ilustra o posicionamento de consumidores comuns, que buscam praticidade e conforto.

e) o texto I apresenta um alerta a respeito da possibilidade de contaminação de produtos orgânicos e industrializados decorrente do uso de plástico em suas embalagens; o texto II apresenta vantagens do consumo de sacolas plásticas: leves, descartáveis e gratuitas.