domingo, 21 de abril de 2013

Prova


Prova Bimestral de Literatura Brasileira

Serie: 2º ano

Professor: Marconildo Viegas

 

Para responder às questões de 1 a 4, leia o texto abaixo.

 

TEXTO

 

1
 
 
4
 
 
 
8
 
 
 
12
 
 
 
16
 
 
 
20
 
 
 
24
 
 
 
28
 
 
 
32
 
 
 
 
Seixas ajoelhou aos pés da noiva, tomou-lhe as mãos que ela não retirava; e modulou o seu canto de amor, essa ode sublime do coração que só as mulheres entendem, como somente as mães percebem o balbuciar do filho.
A moça com o talhe languidamente recostado no espaldar da cadeira, a fronte reclinada, os olhos coalhados em uma ternura maviosa, escutava as falas de seu marido; toda ela se embebia dos eflúvios de amor, de que ele a repassava com a palavra ardente, o olhar rendido, e o gesto apaixonado.
- É então verdade que me ama?
- Pois duvida, Aurélia?
- E amou-me sempre, desde o primeiro dia que nos vimos?
- Não lho disse já?
- Então nunca amou a outra?
- Eu lhe juro, Aurélia. Estes lábios nunca tocaram a face de outra mulher, que não fosse minha mãe. O meu primeiro beijo de amor, guardei-o para minha esposa, para ti...
Soerguendo-se para alcançar-lhe a face, não viu Seixas a súbita mutação que se havia operado na fisionomia de sua noiva.
Aurélia estava lívida, e a sua beleza, radiante há pouco, se marmorizara.
- Ou para outra mais rica!. . . disse ela retraindo-se para fugir ao beijo do marido, e afastando-o com a ponta dos dedos.
A voz da moça tomara o timbre cristalino, eco da rispidez e aspereza do sentimento que lhe sublevava o seio, e que parecia ringir-lhe nos lábios como aço.
- Aurélia! Que significa isto?
- Representamos uma comédia, na qual ambos desempenhamos o nosso papel com perícia consumada. Podemos ter este orgulho, que os melhores atores não nos excederiam. Mas é tempo de pôr termo a esta cruel mistificação, com que nos estamos escarnecendo mutuamente, senhor. Entremos na realidade por mais triste que ela seja; e resigne-se cada um ao que é, eu, uma mulher traída; o senhor, um homem vendido.
- Vendido! exclamou Seixas ferido dentro d’alma.
- Vendido sim: não tem outro nome. Sou rica, muito rica, sou milionária; precisava de um marido, traste indispensável às mulheres honestas. O senhor estava no mercado, comprei-o. Custou-me cem contos de réis, foi barato; não se fez valer. Eu daria o dobro, o triplo, toda a minha riqueza por este momento.
Aurélia proferiu estas palavras desdobrando um papel, no qual Seixas reconheceu a obrigação por ele passada ao Lemos.
Não se pode exprimir o sarcasmo que salpicava dos lábios da moça; nem a indignação que vazava dessa alma profundamente revolta, no olhar implacável com que ela flagelava o semblante do marido.
 
(ALENCAR, José de. Senhora, 6 ed. São Paulo: FTD, 1999, p. 79-81).
 

1.      Considerando as afirmativas acerca dos fragmentos a seguir, identifique com V a(s) verdadeira(s) e com F, a(s) falsa(s): (2 pontos)

 

(         )            Em “ ‘Entremos na realidade por mais triste que ela seja,’ ” (linhas 24-25), o discurso da personagem reafirma a ideologia do Romantismo.

(         )            Em “Aurélia estava lívida, e a sua beleza, radiante há pouco, se marmorizara.” (linha 16), o termo destacado encontra-se empregado em sentido metafórico (comparação implícita).

(         )            Em “ ‘[...] precisava de um marido, traste indispensável às mulheres honestas.’ ” (linhas 28-29), a relação entre o casal aponta para uma concepção de casamento que contraria a visão romântica.

(         )            Em “ ‘O senhor estava no mercado, comprei-o.’ ” (linha 29), a fala da personagem assume um tom crítico, colocando em discussão os valores e comportamentos da sociedade burguesa.

 

A seqüência correta é:

a)FFVF             b) FVFV               c)        VFFV                   d)            VVFF          e)FVVV

                                   

 

2.         Leia o fragmento: (2 pontos)

 

                        "A voz da moça tomara o timbre cristalino, eco da rispidez e aspereza do sentimento que lhe sublevava o seio, e que parecia ringir-lhe nos lábios como aço." (linhas 19-20)

 

                        Considerando alguns elementos lingüísticos desse fragmento, identifique com V a(s) afirmativa(s) verdadeira(s) e com F, a(s) falsa(s):

 

(           )           A forma verbal "tomara" revela que a personagem passa por um processo de mudança, assumindo uma postura que não lhe era peculiar.

(           )           A expressão "timbre cristalino" traduz uma atitude dominadora, assumida pela mulher a partir daquele momento.

(           )           Os termos "rispidez" e "aspereza" denotam a intensidade do sentimento de desprezo que a mulher manifestava pelo marido.

(           )           A expressão "como aço", recurso da linguagem figurada, reforça a caracterização do sentimento amoroso que, naquele momento, Aurélia demonstrava pelo marido.

 

A seqüência correta é:

a) FVFV            b)VVVF         c)VFFV         d)VVFF          e)FFVF

             

3.         Em Senhora, uma das últimas obras de José de Alencar, os personagens Aurélia e Fernando protagonizam uma história de amor. A respeito dessa obra, é correto afirmar: (2 pontos)

 

a)         A protagonista mostra-se completamente dominada pela emoção, revelando a sua fragilidade e submissão ao homem amado, característica marcante das heroínas românticas.

b)         A descrição dos personagens enquadra-se plenamente no processo de idealização da realidade, traço norteador da estética romântica.

c)         O amor aparece, na narrativa, como caminho para que os personagens, heróis ou vilões, possam se redimir, resgatando valores que lhes permitam a correspondência amorosa.

d)        O romance limita-se a uma análise do contexto social da época, não enfocando a dimensão psicológica das personagens.

e)         Os protagonistas, tipicamente românticos, vivem um conflito conjugal, resolvido no momento em que o personagem Fernando resgata a sua dívida.

 

TEXTO I

 

TEXTO II

 

Peri, julgando sua senhora adormecida, remava docemente para não perturbar o seu repouso; a fadiga começava a vencê-lo; apesar de sua coragem indomável e de sua vontade poderosa, as forças estavam exaustas.

Apenas vencedor da luta terrível que travara com o veneno, tinha começado a empresa quase impossível da salvação de sua senhora; havia três dias que seus olhos não se cerravam, que seu espírito não repousava um instante.

PLATÃO et FIORIN. Lições de texto: leitura e redação. São Paulo: Ática, 1996, p. 174.

 

(ALENCAR, José de. O Guarani. 13 ed., São Paulo: Ática, 1987, p. 208).

 


 

4. Após a leitura dos textos I e II, podem-se fazer as seguintes considerações: (2 pontos)

 

       I. Força, coragem e cavalheirismo caracterizam tanto o super-homem, como Peri.

       II. A imagem do Herói é sempre idealizada, independentemente do estilo e da época em que foi elaborada.

       III.           A idealização de Peri é característica do indianismo romântico.

       IV.           O Super-Homem e Peri não podem ser comparados, pois só o primeiro possui as qualidades de um herói.

 

Está(ão) correta(s):

a)apenas I e II.          b)apenas I e III.          c)apenas I, II e III.      d)apenas I e IV.          e)todas.

    

  5.       “... apesar de sua coragem indomável e de sua vontade poderosa, as forças estavam exaustas.”

 

       A idéia introduzida pela expressão sublinhada, no trecho acima, é mantida quando se afirma que o personagem (1 ponto)

 

a)  tinha coragem e as forças estavam exaustas.

b)  tinha coragem e vontade para superar as forças exaustas.

c)  tinha coragem e vontade e mesmo assim as forças estavam exaustas.

d)  tinha coragem, vontade e forças.

e)  tendo coragem e vontade, aumentariam as forças.

 

Leia o texto seguinte antes de responder às questões:

 

            A mais terrível das instituições do Ateneu (...) era o Livro das notas.

            Todas as manhãs, infalivelmente, perante o colégio em peso (...), o diretor aparecia a uma porta com a solenidade tarda das aparições, e abria o memorial das partes (...). Do livro aberto, como as sombras das caixas encantadas dos contos de maravilha, nascia, surgia, avultava, impunha-se a opinião do Ateneu. Rainha caprichosa e incerta, tiranizava essa opinião sem corretivo como os tribunais supremos. O temível noticiário, redigido ao sabor da justiça suspeita de professores, muita vez despedidos por violentos, ignorantes, odiosos, imorais, erigia-se em censura irremissível de reputações (...).

            E o pior é que lavrava o contágio da convicção e surpreendia-se cada um consecutivamente de não haver reparado que era mesmo tão ordinário tal discípulo, tal colega, reforçando-se passivamente o conceito, até consumar-se a obra de vilipêndio quando, por último, o condenado, sem mais uma sugestão de revolta, achava aquilo justo e baixava a cabeça. A opinião é um adversário infernal que conta com a cumplicidade enfim da própria vítima.

(POMPÉIA, Raul. O Ateneu: crônica de saudades. São Paulo: Moderna,1983)

 

Vocabulário: erigia-se: constituía-se   irremissível: imperdoável    lavrava: alastrava-se

vilipêndio: desprezo

 

 

          6. Segundo o texto, a leitura do Livro das Notas, feita pelo diretor, (1 ponto)

 

a)  traduzia com fidelidade o comportamento dos alunos.

b) era digna de crédito devido ao seu caráter público.

c)  constituía-se num julgamento arbitrário e definitivo.

d) estimulava o coleguismo entre os alunos.

e)  correspondia a uma avaliação criteriosa feita pelo corpo docente.