domingo, 3 de junho de 2012

Interpretação de música


Carro Velho
                Banda Eva

Cheiro de pneu queimado
Carburador furado
Coração dilacerado
Quero meu negão do lado
Cabelo penteado
No meu carro envenenado
Eu vou (Bis)
Então venha.
Pois eu sei /que amar a pé amor
É lenha.
Eu vou pra lá dançar
Seja noite ou seja dia
E se eu beber alguma, amor
Me guia
Quer andar de carro velho, amor.
Que venha
Pois já sei que amar a pé, amor.
É lenha.


  1. Qual é a temática do texto?
  2. A linguagem é culta-formal ou coloquial-informal? Justifique com elementos do texto.
  3. Por que o eu lírico, no que dá para entender, usa esse tipo de linguagem?
  4. Quais são os possíveis significados das expressões?
a)     “... meu negão do lado”.
b)     “... meu carro envenenado”.
c)      “.... É lenha.

  1. O eu lírico da uma grande lição de vida responsável. Transcreva o trecho que corrobora com a afirmativa e comente do que seria essa responsabilidade.
  2. O eu lírico já passou pela situação, passará ou está passando? Justifique.
  3. Qual o porquê do eu lírico está com “o coração dilacerado”?
  4. A vida noturna de baladas, shows, boates etc. é bem comum no cotidiano das pessoas. O eu lírico afirma: “eu vou pra lá dançar, seja noite ou seja dia”. Ele tenta influenciar, de certa forma, os leitores para a diversão? Ele já determinou o que irá fazer?
  5. Analisando o verso “Cabelo penteado”, o eu lírico refere-se a(o):
a) si mesmo              b) dona do carro                  c) negão do lado
d) carro envenenado             e) pneu queimado

  1. Na letra do texto/música “Carro Velho”, o eu lírico fala de pneu, carburador, guiar, andar de carro, amar a pé. Em produção textual (redação) há uma modalidade que aborda isso. Qual é? Justifique.