quinta-feira, 13 de julho de 2017

Avaliação

Leia o texto e responda:

No meio das tabas de amenos verdores,
Cercados de troncos - cobertos de flores,
Alteiam-se os tetos d'altiva nação;
São muitos seus filhos, nos ânimos fortes,
Temíveis na guerra, que densas coortes
Assombram das matas a imensa extensão.

FONTE: DIAS, Antonio Gonçalves. I-Juca-Pirama seguido de Os Timbiras. Porto Alegre:
L&PM, 1999.

1.    No fragmento acima, encontra-se a seguinte característica romântica:
a) vida não ufanista.
b) indianismo.
c) ritmo amelódico.
d) lirismo não amoroso.

Leia o texto e responda:

João Grilo (Selton Mello) e Chicó (Matheus Nachtergaele) em Auto da Compadecida (Foto: Reprodução/Rede Globo) João Grilo (Selton Mello) e Chicó (Matheus Nachtergaele) em Auto da Compadecida (Reprodução/Rede Globo)
A peça é narrada pelo palhaço e a história se inicia quando Chicó e João Grilo tentam convencer o padre a benzer o cachorro de sua patroa, a mulher do padeiro. Como o padre se nega a benzer e o cachorro morre, o padeiro e sua esposa exigem que o padre faça o enterro do animal. João Grilo diz ao padre que o cachorro tinha um testamento e que lhe deixara dez contos de réis e três para o sacristão, caso rezassem o enterro em latim. Quando o bispo descobre, Grilo inventa que, na verdade, seis contos iriam para a arquidiocese e apenas quatro para paróquia, para que o bispo não arrumasse problemas. Depois de toda a confusão sobre o enterro do cachorro, João Grilo arma com Chicó para também tirarem vantagem da situação. Manda Chicó enfiar moedas em um gato e esconder uma bexiga de sangue por baixo da camisa, para o caso de o primeiro plano falhar. Como havia perdido seu animal de estimação e também era interesseira, João resolve vender o gato que “descomia” dinheiro para a mulher do padeiro, o gato no qual Chicó tinha colocado moedas. Quando o padeiro descobre, volta à igreja para brigar com João. Neste momento, estão reunidos todos na igreja, pois João estava entregando o dinheiro prometido ao padre, ao bispo e ao sacristão. Ouvem-se tiros e uma gritaria do lado de fora, era o cangaceiro Severino. Ele entrou na igreja, roubou o dinheiro e matou o bispo, o padre, o sacristão, o padeiro e a mulher. Na hora de matar João Grilo, este lhe dá de presente uma gaita abençoada por Padrinho Padre Cícero que teria o poder de ressuscitar as pessoas. Para o cangaceiro acreditar, João dá uma facada em Chicó e estoura a bexiga com sangue; Chicó cai e João Grilo toca a gaita enquanto o amigo levanta dançando no ritmo da música. Severino, então, ordena a seu capanga que lhe dê um tiro e depois toque a gaita para que ele possa ir encontrar com Padre Cícero e depois voltar. O capanga obedece, atira, mas quando toca a gaita nada acontece. Chicó e João Grilo se atracam com o capanga e este leva uma facada. Quando os dois estão fugindo com o dinheiro que pegam do defunto Severino, o capanga reage e mata João Grilo. No céu, todos se encontram para o juízo final. O diabo e Jesus apresentam as acusações e defesas. João então chama Nossa Senhora para interceder por eles. É o que ela faz. O padre, o bispo, o sacristão, o padeiro e sua mulher são mandados para o purgatório. Severino e o seu capanga são absolvidos e enviados ao paraíso. João simplesmente retorna a seu corpo. Quando retorna, vê Chicó lhe enterrando, levanta e dá um susto no amigo. Depois de conseguir fazer Chicó acreditar que está vivo, os dois se animam e fazem planos para o dinheiro do enterro. Até que Chicó se lembra da promessa que fez a Nossa Senhora, que daria todo dinheiro caso João sobrevivesse. Depois de uma discussão, decidem entregar todo o dinheiro à Igreja.

2.    O que faz de João Grilo o personagem principal da história?
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

3. Qual a atitude de João diante das histórias contadas por Chico, como a do cavalo bento e a do peixe que pescou o homem? 

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

4.    Que figura nordestina Severino representa? Justifique.
_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

5. Ao chegar ao céu, Severino é absolvido de seus pecados sem passar pelo purgatório. Por quê? 

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

Releia um fragmento da fala da Compadecida em favor de João. 

“João foi um pobre como nós, meu filho. Teve de suportar as maiores dificuldades, numa terra seca e pobre como a nossa. Não o condene, deixe João ir para o purgatório.” 

6) Hoje, de que maneira os nordestinos enfrentam as adversidades da seca?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

7. Quais as características da linguagem utilizada por Ariano Suassuna que podemos perceber nesse trecho?

a)    Filosófica.
b)    Política.
c)    Formal.
d)    Regional.

8. Há uma adversidade da vida do homem do sertão nordestino permeando o texto. Hoje, os nordestinos enfrentam as adversidades de forma pacífica e com esperança em dias melhores. Que adversidade é essa?


a)    A seca.
b)    A corrupção.
c)    A vida religiosa das pessoas na cidade.
d)    As contas secretas de Eduardo Cunha na Suíça.

Leia o Soneto de Álvares de Azevedo

Já da morte o palor me cobre o rosto,
Nos lábios meus o alento desfalece,
Surda agonia o coração fenece,
E devora meu ser mortal desgosto!
Do leito embalde no macio encosto
Tento o sono reter!... já esmorece
O corpo exausto que o repouso esquece...
Eis o estado em que a mágoa me tem posto!
O adeus, o teu adeus, minha saudade,
Fazem que insano do viver me prive
E tenha os olhos meus na escuridade.
Dá-me a esperança com que o ser mantive!
Volve ao amante os olhos por piedade,
Olhos por quem viveu quem já não vive!

AZEVEDO, A. Obra completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2000.

9. O núcleo temático do soneto citado é típico da segunda geração romântica, porém configura um lirismo que o projeta para além desse momento específico. A característica principal da Segunda Geração Romântica é:

__________________________________________________________________________________________________________________________________________


O trecho a seguir é parte do poema "Mocidade e morte", do poeta romântico Castro Alves:

Oh! eu quero viver, beber perfumes
Na flor silvestre, que embalsama os ares,
Ver minh'alma adejar pelo infinito,
Qual branca vela n'amplidão dos mares.
No seio da mulher há tanto aroma...
Nos seus beijos de fogo há tanta vida...
- Árabe errante, vou dormir à tarde
À sombra fresca da palmeira erguida.

Mas uma voz responde-me sombria:
Terás o sono sob a lájea fila.

(ALVES, Castro. "Os melhores poemas de Castro Alves." Seleção de Lêdo Ivo. São Paulo: Global, 1983.)

10. Esse poema, como o próprio título sugere, aborda o inconformismo do poeta com a antevisão da morte prematura, ainda na juventude. A imagem da morte aparece em qual palavra?

_________________________________________________________________________________________________________________________________________