quinta-feira, 13 de julho de 2017

AVALIAÇÃO BARROCO

Leia o texto abaixo e responda o que se pede:

Os senhores poucos, os escravos muitos; os senhores rompendo galas, os escravos despidos e nus; os senhores banqueteando, os escravos perecendo à fome, os senhores nadando em ouro e prata, os escravos carregados de ferros, os senhores tratando-os como brutos, os escravos adorando-os e temendo-os como deuses; os senhores em pé apontando para o açoite, como estátuas, como estátuas da soberba e da tirania, os escravos prostrados com as mãos atadas atrás como imagens vilíssimas da servidão e espetáculos da extrema miséria.

1. No texto, verificam-se os seguintes traços do Barroco:

I. A presença de um grande número de antíteses.
II. A predominância dos aspectos denotativos da linguagem.
III. A utilização do recuso da hipérbole para melhor traduzir o sofrimento dos escravos.
IV. O envolvimento político dos escravos.

Estão corretas, de acordo com o textos, as afirmativas:

a) I e II
b) III e IV
c) II e III
d) I e IV
e) I e III

Estas palavras, do padre Antônio Vieira, descrevem bem a situação da sociedade colonial à época do apogeu açucareiro.

2.    A respeito, considere as afirmativas:

I. Os senhores eram os donos dos engenhos e da riqueza neles gerada; logo, podiam comer bem e vestir-se
luxuosamente.
II. Os escravos eram uma propriedade dos senhores, como qualquer outro objeto de sua lavoura e de seu engenho, não precisando de roupas e comendo apenas o mínimo necessário.
III. A Igreja Católica, inclusive os padres da Companhia de Jesus, admitiu em geral a escravidão africana, embora tenha combatido com coragem e tenacidade a escravização do indígena.
IV. A minoria dos senhores de terras e escravos temia as ações dos jesuítas, tal como haviam feito os holandeses em Pernambuco, em prol da libertação dos escravos dos engenhos e plantações.

Assinale:

a) Se somente as alternativas I e II estão corretas.
b) Se somente as alternativas II e III estão corretas.
c) Se somente as alternativas I, II e II estão corretas.
d) Se somente as alternativas II, III e IV estão corretas.
e) Se todas as alternativas estão corretas.


Veja os textos abaixo e responda o que se pede:


Descrição do teto da nave principal da Igreja de São Francisco:

“Em nuanças de cores e formas (...) estão ressaltadas figuras de Papas, Cardeais, Bispos, Anjos e um sobrecéu sustentado por imponentes colunas, em que se observa uma cena apoteótica, figurando a Santíssima Trindade, além de Nossa Senhora da Conceição (...) e aos seus pés, São Francisco irradiando luzes de seu coração para frades franciscanos santificados.”

Quatro Séculos de Arte Sacra. Rio de Janeiro: Bloch Ed; João Pessoa: Gov. do Estado, 1990, pp. 28, 51 e 89.

3.    Sobre a Igreja de São Francisco e a vida cultural brasileira, no período colonial, afirma-se:

I. A fachada exterior da Igreja possui estilo barroco e é composta de cinco arcos. O pátio
das Igrejas coloniais em todo o Brasil era palco de festas religiosas, onde muitas vezes os senhores mais poderosos eram carregados em liteiras (cadeiras com escravos em cada ponta) por escravos africanos.

II. O teto da nave principal da Igreja evoca a racionalidade e o humanismo da presença portuguesa, ao representar com singular estética a criação do homem por Deus. Os animais, os frutos e os habitantes da terra são os temas centrais de sua arquitetura e pintura.

III. A atmosfera religiosa dramática, buscando comover e conduzir o fiel para Deus, era característica do barroco colonial das Igrejas. As imagens cobertas de ouro demonstram o poder espiritual do catolicismo, sua força econômica e seu papel central na colonização portuguesa.

Está (ão) correta(s):

a) apenas I e III
b) apenas II e III
c) apenas I e II
d) apenas III
e) todas

Leia o texto e responda:


Fonte: http://edinanarede.webnode.com.br/atividades/

4.    Criada no século XXI, a tira registra um olhar crítico sobre o descobrimento. Por quê?

a)    Mostra a polidez dos portugueses.
b)    Identifica a real intenção dos portugueses.
c)    Focaliza a ironia e a real intenção dos portugueses e índios.
d)     Faz referência a vida social.
e)    Não tem identificação com nossa literatura.

5.    (UFMG) Com base na leitura da Carta, de Pero Vaz de Caminha, é INCORRETO afirmar que esse texto:

(A) se filia ao gênero da literatura de viagem.
(B) aborda seu próprio contexto de produção.
(C) usa registro coloquial em estilo cerimonioso.
(D) se compõe de narração, descrição e dissertação.

6.    (UFF) Assinale o fragmento que representa uma retomada modernista da carta de Pero Vaz de Caminha;

(A) "O Novo Mundo nos músculos / Sente a seiva do porvir." (Castro Alves)
(B) "Minha terra tem palmeiras, / Onde canta o sabiá"(Gonçalves Dias)
(C) "A terra é mui graciosa / Tão fértil eu nunca vi."(Murilo Mendes)
(D) "Irás a divertir-te na floresta, / sustentada,Marília, no meu braço"(Tomás Antônio Gonzaga)
(E) "Todos cantam sua terra / Também vou cantar aminha" (Casimiro de Abreu)

Leia o texto e responda:

Alguém já disse que o rococó (barroco tropical) é o barroco que não soube onde parar. Todos os estilos correm o risco de descambar para o excesso, e saber o ponto em que começa o excesso é difícil, como acertar o ponto do pudim. Quando é que o discurso político deixa de ser democrático e fica populista, ou passa de populista a demagógico? Qual o parâmetro para distinguir um estilo lírico de um estilo preciosista, o sensível do piegas, o experimental do meramente pretensioso ou – seguindo-se a máxima do Mário Quintana, segundo a qual estilo é uma dificuldade de expressão – do simplesmente incapaz? Muitos escritores novos dizem que seu maior problema é saber por onde começar. Não é. O maior problema de quem escreve (ou compõe, ou interpreta, ou, principalmente, discursa) é saber onde parar.

Fragmento de “Robinho e o paradoxo”, Veríssimo, O Globo, 1/07/07

Rococó é o nome de um estilo que esteve em moda no século XVIII e que desenvolveu algumas das tendências do Barroco.

7.    Assinale a afirmativa que corresponde ao sentido da frase: “Alguém já disse que o rococó é o barroco que não soube onde parar.”

 (A) Visto que o Barroco se caracterizou pelo uso de efeitos contrastantes, bem como pela complexidade da forma, bizarria, bombasticidade e muitas vezes ambiguidade calculada, tudo isto o separou do Rococó.
(B) Porque o Rococó é um estilo ornamental da época de Luís XV (França) tipificado pela assimetria, caracterizado pelo uso exagerado de floreados e motivos naturalistas (conchas, palmas etc.), a frase enfatiza que este sucede ao Barroco.
(C) Como o Barroco é exagerado, extravagante e irregular, a frase significa que era um estilo mais bizarro, bombástico e ambíguo do que o Rococó, destacando que este antecede àquele outro estilo.
(D) Como o Barroco, estilo de época do século XVII, se caracterizou pela tendência ao trabalho extensivo e complexo de criação de jogos de palavras e ideias, a frase implica que o Rococó levou ao exagero essa tendência.
(E) Já que o Barroco era exagerado, extravagante, irregular e prevaleceu do fim do século XVI ao fim do século XVIII, isto teve como efeito o surgimento do Renascimento no Brasil.


8.    As primeiras manifestações literárias que se registram na Literatura Brasileira referem-se a:

a) Literatura informativa sobre o Brasil (crônica) e literatura didática, catequética (obra dos jesuítas).
b) Romances e contos dos primeiros colonizadores.
c) Poesia épica e prosa de ficção.
d) Obras de estilo clássico, renascentista.
e) Poemas românticos indianistas.

9.    A literatura de informação corresponde às obras:

a) barrocas;
b) arcádicas;
c) de jesuítas, cronistas e viajantes;
d) do Período Colonial em geral;

10. A “literatura jesuíta”, nos primórdios de nossa história:

a) tem grande valor informativo;
b) marca nossa maturação clássica;
c) visa à catequese do índio, à instrução do colono e sua assistência religiosa e moral;
d) está a serviço do poder real;
e) tem fortes doses nacionalistas.