domingo, 23 de dezembro de 2012

Prova no 2º bimestre do INSC


Instituto Nossa Senhora da Conceição
Prova de Língua Portuguesa, Literatura Brasileira e Produção Textual
Professor: Marconildo Viegas
Aluno (a): _____________________________________ Série: 8º ano
Obs. As questões objetivas não podem ser rasuradas.

Leia o texto abaixo:

 “A Carta”, de Pero Vaz de Caminha, escrita ao rei d. Manuel, é um verdadeiro registro de nascimento do Brasil. Nela observamos o deslumbramento com a nova terra, os equívocos sobre as riquezas e as intenções do colonizador português. Com “A Carta” de Caminha teve início o período da literatura informativa sobre o Brasil.

Carta a el-rei d. Manuel
Pero Vaz de Caminha
1º trecho

Neste mesmo dia, a hora de véspera, houvemos vista de terra! A saber, primeiramente de um grande monte, muito alto e redondo; e de outras serras mais baixas ao sul dele; e de terra chã, com grandes arvoredos; ao qual monte alto o capitão pôs o nome de O Monte Pascoal e à terra A Terra de Vera Cruz!

2º trecho

E dali avistamos homens que andavam pela praia, uns sete ou oito, segundo disseram os navios pequenos que chegaram primeiro. [...] A feição deles é serem pardos, um tanto avermelhados, de bons rostos e bons narizes, bem feitos. Andam nus, sem cobertura alguma. Nem fazem mais caso de encobrir ou deixa de encobrir suas vergonhas do que de mostrar a cara. Acerca disso são de grande inocência.

3º trecho

O Capitão, quando eles vieram, estava sentado em uma cadeira, aos pés uma alcatifa por estrado; e bem vestido, com um colar de ouro, mui grande, ao pescoço. [...]Todavia um deles fitou o colar do Capitão, e começou a fazer acenos com a mão em direção à terra, e depois para o colar, como se quisesse dizer-nos que havia ouro na terra. E também olhou para um castiçal de prata e assim mesmo acenava para a terra e novamente para o castiçal, como se lá também houvesse prata!

4º trecho

E uma daquelas moças era toda tingida de baixo a cima, daquela tintura e certo era tão bem feita e tão redonda, e sua vergonha tão graciosa que a muitas mulheres de nossa terra, vendo-lhe tais feições envergonhara, por não terem as suas como ela.

5º trecho

Nela até agora não pudemos saber se há ouro ou prata nela, ou outra coisa de metal, ou ferro; nem lha vimos. Contudo a terra em si é de muito bons ares frescos e temperados como os de Entre-Douro-e-Minho, porque neste tempo d'agora assim os achávamos como os de lá. Águas são muitas; infinitas. Em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo; por causa das águas que tem! Contudo, o melhor fruto que dela se pode tirar parece-me que será salvar esta gente. E esta deve ser a principal semente que Vossa Alteza em ela deve lançar.

1.    Em que trecho Caminha registra o primeiro choque cultural sofrido pelos portugueses? O que causou esse choque?

(    )  No 2º trecho, com a nudez dos índios.         
(    ) No 5º trecho, com a cobiça dos europeus.

2.    Ao estabelecer uma semelhança (analogia) física entre o índio e o europeu, Caminha valoriza quase sempre o índio. Marque a única passagem em que ocorre essa valorização.

(    ) Com a frase: “de bons rostos e bons narizes, bem feitos” ( 2º trecho)
(    ) Com a frase: “e de terra chã, com grandes arvoredos” (1º trecho)

3.    Soma-se a perfeição física a inocência dos homens primitivos, ainda não contaminados pela civilização, naturalmente bons como Deus os fez e beneficiados pelo contato com a natureza. Essa ideia está contida em que trechos da Carta?

(    ) No 2º e 4º trechos.                                                           (    ) No 2º  e 3º trechos.

4.    Qual é o grande interesse dos portugueses, presente em vários trechos da Carta?

(    ) O interesse pelo desenvolvimento do Brasil.          
(    ) O interesse pelas riquezas mineiras.

Leia o texto abaixo e responda as questões propostas:
Ratos odeiam queijo
Um estudo feito na Manchester Metropolitan University diz que aquela história de que os ratos gostam de queijo é pura balela
Por Thiago Perin

Mentirosos!
Tom e Jerry mentiram para você. Um estudo feito na Manchester Metropolitan University, na Inglaterra, diz que aquela história de que os ratos gostam de queijo é pura balela: eles gostam mesmo é de coisinhas doces.
A dieta de um rato é composta, basicamente, por grãos e frutas – ambos tipos de alimentos com grande concentração de açúcar. Segundo os pesquisadores, era fácil prever, então, que eles torceriam o nariz para algo com cheiro e sabor tão fortes como um pedaço de queijo – e foi exatamente o que testes em laboratório mostraram.
“Os ratos evoluíram quase inteiramente sem queijo ou qualquer coisa parecida com ele”, diz o líder do estudo, David Holmes.


Disponível em: <http://super.abril.com.br/blogs/cienciamaluca/ratos-odeiam-queijo/>. Acesso em: 11 de maio de 2011.

A reportagem é um gênero jornalístico, assim como a noticia, mas apresenta informações mais abrangentes, com mais detalhes.
5.    Nesse texto, qual é o objetivo do repórter?

6.    No geral, em que veículos são transmitidas as reportagens?

7.    Observe a linguagem empregada no texto. Que variedade lingüística ele apresente? Por quê?

8.    Em que pessoa verbal foi redigida a personagem? Por quê?

9.    Que tempo verbal predomina nele, e qual seria a razão desse emprego?

10.  A reportagem apresenta, quase sempre, os mesmos elementos da noticia, título principal ou manchete, titulo auxiliar ou olho da noticia, lide e corpo do texto. Na reportagem, identifique o tema central do texto.

11.  Na frase “Não dá para entender”, classifique o adjunto adverbial.

12.  Na frase “O filme trata das diferenças sociais”, identifique os adjuntos adnominais.
Observe o quadro abaixo As vaidades da vida humana, de Harmen Steenwyck, e responda as questões propostas:

13.  O quadro de Steenwyck é considerado uma natureza morta, um tipo de pintura que retrata objetos e seres inanimados ou mortos: um jarro com flores, uma cesta com frutas ou outros alimentos, etc. Por que o quadro de Steenwyck pode ser considerado uma natureza morta?

14.  Observe que o centro da tela é ocupado por um cranio humano. Com base no nome do quadro e na posiçao do crânio, qual seria a temática central dele?

15.  Atrás, acima do crânio, aparece uma  lâmpada recém-apagada, conforme sugere o tênue fio de fumaça que sai dela. Considerando que o fogo, a chama e a luz associam-se à ideia de vida, responda: O que representa a lâmpada apagada?


16.  Que outros elementos do quadro, além do crânio, apresentam o mesmo significado da lâmpada?


17.  Considerando o significado do crânio e sua posição de destaque no quadro, o que, na visao do artista, estaria acima de todos esses valores?

18.  Faça um breve comentário, no mínimo de 10 linhas COM LETRA LEGIVEL sobre sua impressão do filme Ai que vida, abordando temas como corrupção, relação da família, a vida difícil do dia a dia em cidades sem infra -estruturas, etc.